Engenheiro de Telecomunicações para a área de Segurança das Comunicações (m/f)

Anacom

09 May 2022

Anacom

1

Engenheiro de Telecomunicações para a área de Segurança das Comunicações 

(m/f)

A ANACOM é a autoridade portuguesa que tem por missão a regulação do sector das comunicações. Para dar cumprimento à sua missão, a ANACOM segue os valores institucionais de Independência, Transparência, Excelência e Cultura de Equipa. 

Atualmente a ANACOM pretende recrutar um(a) Engenheiro de Telecomunicações para a área de Segurança das Comunicações que integrará a Direção-Geral de Regulação.

Áreas de atuação

A DGR é responsável pelo desenho e concretização da regulação no sector das comunicações (incluindo comunicações eletrónicas e postais) em todas as suas vertentes, integrando entre outros, juristas, economistas e engenheiros.

O(a) Engenheiro(a) de Telecomunicações será alocado(a) a uma equipa multidisciplinar tendo em vista a formulação de análise e apreciação técnica relacionada com a regulação do sector na vertente da Segurança  das  Comunicações, incluindo a promoção das ações necessárias à caracterização e operacionalização das comunicações de emergência, nomeadamente na articulação com os serviços e entidades relevantes, a promoção dos interesses dos consumidores nos domínios da segurança das comunicações e das comunicações de emergência, a promoção do estudo, adoção e execução de medidas de proteção e resiliência de infraestruturas de comunicações eletrónicas em situação de eventos extremos ou catástrofes, e a participação em ações de cooperação técnica e representação da ANACOM em eventos e grupos de trabalho nacionais e internacionais, entre outras funções. 

Perfil requerido:

  • Licenciatura pré-Bolonha ou Licenciatura e Mestrado pós-Bolonha, ambos em Engenharia de Telecomunicações, Engenharia Eletrotécnica ou áreas afins;
  • Experiência profissional mínima de 4 anos em funções relevantes para o perfil exigido. Por relevantes, entende-se experiência desenvolvida designadamente em entidades reguladoras nacionais ou internacionais, empresas que operem no sector das Comunicações, fabricantes de equipamentos e consultoras especializadas;
  • Conhecimentos comprovados em redes públicas e serviços de comunicações eletrónicas disponíveis ao público, ao nível das infraestruturas, tecnologias, sistemas, aplicações, normas e especificações, e protocolos associados (e.g. protocolos de sinalização em redes públicas de comunicações);
  • Orientação para os resultados, espírito de iniciativa e criatividade; 
  • Capacidade para idealizar e propor soluções técnicas práticas e adequadas à resolução de questões regulatórias;
  • Capacidade de comunicação escrita e oral clara, simples e objetiva; 
  • Proatividade na atualização permanente de conhecimentos; 
  • Capacidade de relacionamento interpessoal e orientação para o trabalho em equipa em ambiente multidisciplinar, com flexibilidade e autonomia; 
  • Fluência em português e inglês, falado e escrito;
  • Sólidos conhecimentos na utilização de aplicações comuns Office.
  • Conhecimentos dos sistemas que utilizam novas tecnologias, incluindo no domínio das novas redes móveis (5G) e fixas será considerado fator preferencial.

Princípios orientadores

O candidato deve orientar-se pelo espírito de missão, ser motivado pelo interesse público e por elevados níveis de exigência profissional.

Este anúncio não dispensa a consulta do regulamento e do perfil detalhado para este concurso. 

Submeta a sua candidatura até às 23h59, do dia 24 de maio.